Publicidade

Niquelândia

Caseiro que planejava ‘matança’ em igreja evangélica morre em confronto com o GPT na zona rural

Estrogildo Ferreira dos Anjos, pastor da Assembléia de Deus no Indaianópolis, havia gravado áudios pedindo apoio da PM para conter Saloede Pereira dos Santos: ao ser encontrado, homem de 42 anos disparou contra militares, que revidaram

O caseiro Saloede Pereira da Silva, de 42 anos, foi baleado e morto por volta das 11h30 da quinta-feira/31 na zona rural de Niquelândia após entrar em confronto com o Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) da Polícia Militar (PM) de Niquelândia.

Pelo o que consta, o homem provocaria uma verdadeira matança numa igreja evangélica no Povoado Indaianópolis, caso não tivesse sua vida ceifada pelos militares.

Como se sabe, o ex-secretário de Transportes e ex-candidato a vice-prefeito de Niquelândia, Estrogildo Ferreira dos Anjos – que é pastor da Igreja Assembleia de Deus no povoado distante 36 quilômetros da área urbana de Niquelândia– gravou áudios desesperadores no último domingo (27) pedindo apoio da PM para localizar Saloede.

Nas gravações, Estrogildo explicava que Saloede estaria ameaçando matar a própria mulher com quem a vítima fatal era casado; seus próprios filhos (de Saloede); e também alguns membros da igreja, para ter certeza se eles realmente seriam arrebatados.

“Arrebatados” é o termo utilizado, entre os religiosos, para exemplificar que todas as pessoas que morrerem em Cristo serão ressuscitadas; e que todos os redimidos que ainda estiverem vivos serão transformados e glorificados.

No dia que Estrogildo gravou o áudio, Saloede fez cinco disparos de revólver nas proximidades do templo evangélico, seguidos de ameaças contra seus frequentadores e moradores das imediações.

Quando procurava por Saloede, o GPT deparou-se com populares que evitavam passar informações sobre o paradeiro do caseiro, sob a alegação de que o indivíduo era um homem muito perigoso e vingativo.

Porém, logo em seguida, a PM obteve a informação de que Saloede estaria no Condomínio Toca do Tatu, local este que sempre ficava com a portaria fechada; e que o caseiro recebia os visitantes armado até os dentes, empunhando uma espingarda e um revólver.

No local, tão logo avistou a viatura, Saloede efetuou vários disparos na direção dos militares. O GPT revidou e baleou o indivíduo que foi prontamente socorrido pelos próprios militares, pelo fato do local ser ermo e sem comunicação via rádio ou telefone celular.

No trajeto, o GPT parou num bar às margens do Rio Traíras, para que os bombeiros e o Hospital Municipal Santa Efigênia fossem informados que a corporação se deslocava com Saloede ainda vivo, para as devidas providências.

No hospital público, porém, o médico Jarme Rosa dos Santos constatou que o indivíduo já estava morto. Quando da abordagem a Saloede ainda no Povoado Indaianópolis, a PM encontrou uma carabina e 65 munições calibre 22; além de um revólver e seis munições calibre 38.

Ainda de acordo o Registro de Atendimento Integrado (RAI) apresentado pela PM na Delegacia da Polícia Civil em Niquelândia, Saloede possuía diversas passagens por tentativa de homicídio; ameaça; e porte ilegal de arma.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar