Opinião

Empreendedorismo e Inteligência Emocional: faz sentido?

Angelita Amorim

Angelita Amorim (Foto: Arquivo Pessoal)

Tudo na nossa vida começa com um sonho. E o empreendedorismo também um sonho que pode se realizar de acordo com a “energia” que o sonhador investe. Sonhar é extremamente importante. Mas é a ação ou motivação (motivo para a ação) que auxiliará na sua materialização. Ou seja, as suas atitudes que farão toda a diferença.

Não sei como, nem quando, mas desde que me entendo por gente, sonhava em empreender. Inclusive, meu primeiro empreendimento foi uma fábrica de cocada. Eu tinha 11 anos e foi um sucesso! Mesmo antes de ser apresentada ao significado da palavra “empreender”, olha que faz um tempinho, viu??? Rsrsrs.

Algumas características são importantíssimas para quem tem um grande ou até mesmo um pequeno sonho de empreender: o tamanho é irrelevante, o que importa é buscar sua realização. Porém, Dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) apontam que apenas 71,90% das micro e pequenas empresas abertas no Brasil por esses sonhadores sobrevivem por mais de dois anos.

Atualmente, vivemos uma crise financeira imensurável no mundo, no Brasil, no Estado e em nossa Niquelândia. Tenho vivenciado muitas pessoas sem esperança, sem direção, acreditando que não há solução. Mas, acreditem: há solução sim, acredito absolutamente nisso e é o que os economistas também mostram.

Vivemos um momento em que empreender é o único caminho para muitas pessoas, felizmente. É possível eu me tornar um empreendedor de sucesso? Sim, é claro que é possível, basta você desejar. Sempre digo que “o seu maior inimigo é você mesmo”, porque temos o instinto de buscar culpados para o nosso fracasso. Exemplos disso: meu concorrente, minha família que não me apoia, falta de dinheiro, etc. Cuidado! Esse inimigo pode estar muito mais próximo do que você imagina e também pode ser muito mais fácil de eliminá-lo do que você pensa.

Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história”.  Essa definição – que tomei emprestada do psiquiatra Augusto Cury – resume o que é ser um empreendedor de sucesso.

Porém, precisamos atrelar tudo isso com os princípios da chamada “Inteligência emocional”. Ou seja, a capacidade de lidar com as próprias emoções pode auxiliar bastante para que o empreendedor se sinta mais preparado para enfrentar os desafios que surgirão.

Mas o que as emoções têm a ver com o empreendedorismo? Simplesmente tudo. Pois quando um empreendedor consegue gerir suas emoções de forma correta, adquire habilidade para tomar as decisões mais assertivas, faz uma melhor gestão da sua equipe; busca soluções mais adequadas em situações difíceis emocionalmente estressantes; e ajuda que o seu negócio seja bem-sucedido.

O empreendedor não pode ser analfabeto emocionalmente:  o desenvolvimento da Inteligência Emocional é contínuo e precisa ser cotidianamente exercitado. Porém, para se alcançar esse controle emocional é necessário desenvolver o autoconhecimento; descobrir o que te motiva; e saber identificar suas emoções, principalmente, para administrá-las a seu favor.

Os resultados são percebidos ao longo do tempo, garantindo  autoconfiança; melhoras nas relações interpessoais; maior habilidade na gestão de conflitos; habilidade para lidar com as frustrações; diminuição com as preocupações descabidas e com estresse; maior satisfação no trabalho; desenvolve significativamente a empatia; possui maior facilidade para manter diálogos difíceis; e se torna uma pessoa mais realista nas suas expectativas.

Por fim, lide com suas emoções de uma maneira saudável e construtiva. Sua capacidade, eficiência e eficácia no mundo dos negócios ajudarão a transcender sua própria expectativa e você alcançará patamares elevados de satisfação e resultados. Domine suas emoções e jamais se deixe ser dominado por elas!

Angelita Amorim, graduada em Pedagogia em 2002 pela  Universidade Estadual de Goiás (UEG), é sócia-diretora do Instituto Faolo – Consultoria e Treinamentos; e do Polo da Universidade Estácio, ambos em Niquelândia

Palavras-chave

Veja também