Niquelândia

Bandido que incendiou viatura da PC há cinco anos morre baleado por agente prisional na cadeia de Niquelândia

Walafe Alves da Silva, de 26 anos, o “Riquelme”, era um dos criminosos mais perigosos em atividade nos últimos anos na cidade do Norte do Estado: no domingo (23) ele e seu irmão tomaram arma de agente que recuperou revólver e revidou contra os dois presos

Terminou na tarde deste domingo (23), no interior da Unidade Prisional de Niquelândia (UPN), a saga criminosa de um dos mais temidos bandidos da cidade do Norte do Estado, nos últimos anos:  Walafe Alves da Silva, de 26 anos – conhecido nos meios policiais como “Riquelme” – foi baleado e morto por um agente penitenciário da cadeia localizada no Bairro Santa Efigênia.

COMO TUDO ACONTECEU – De acordo com o Registro de Atendimento Integrado (RAI) registrado pela Polícia Civil de Niquelândia, o agente prisional – cujo nome é mantido sob total sigilo – fazia a transferência de um determinado preso para uma cela quando Riquelme e seu irmão – Brendo Washingtton da Silva, de 20 anos – tentaram tomar a arma que estava em poder do funcionário da UPN.

De imediato, o funcionário da cadeia tentou reagir com uma arma não-letal – calibre 12, com balas de borracha – que apresentou pane e acabou sendo tomada do agente por um dos detentos. O outro preso, em ato contínuo, tomou o revólver que estava em poder do agente penitenciário.

Houve luta corporal e a arma caiu no chão. De forma ágil, o agente recuperou o revólver e disparou contra os agressores que, mesmo alvejados, continuaram a agredi-lo.

Quando a Polícia Militar (PM) chegou na cadeia de Niquelândia, o Corpo de Bombeiros de Niquelândia já havia socorrido um dos presos baleados; e o Samu feito o atendimento ao outro detento, levando-os ao Hospital Municipal Santa Efigênia, onde Riquelme chegou em óbito. Seu irmão sofreu ferimentos e foi medicado.

Unidade Prisional de Niquelândia [UPN], onde ocorreu o distúrbio que culminou com a morte de um preso e ferimentos em outro [Foto: Excelência Notícias]
O QUE DISSE A DGAP – Em nota enviada à imprensa, a Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) – órgão ligado à Secretaria Estadual de Segurança Pública – informou que foram tomadas as devidas providências envolvendo um Vigilante Penitenciário Temporário (VPT) e custodiados da unidade na tarde deste domingo, 23/08.

Segundo a nota, os detentos tentaram “subverter a ordem e a disciplina no presídio”, sendo necessário o uso de procedimentos operacionais para a contenção destes.

De acordo com a DGAP, seguem normalizadas a ordem, disciplina e segurança na unidade; que houve abertura de procedimento administrativo interno para apuração do ocorrido e possíveis responsabilidades; que a ocorrência foi repassada à Polícia Civil do município para as investigações necessárias que o caso requer.

INCÊNDIO À VIATURA DA PC EM 2015 – Walafe/Riquelme – o preso que morreu na cadeia de Niquelândia neste final de semana –  tinha diversas passagens pela Polícia Civil pela prática de crimes de receptação; de furto qualificado; de tráfico de drogas; e de corrupção de menores.

Em outubro de 2015, Riquelme havia sido indiciado pelo incêndio criminoso na viatura da Polícia Civil da cidade, totalmente consumida pelo fogo na rampa de acesso ao prédio da DP local.

Na ocasião, apurou-se que o incêndio foi uma tentativa de retaliação de Walafe contra a PC, já que as investigações apontaram à época seu envolvimento com dois furtos numa tradicional loja de roupas, calçados e colchões da região central da cidade.

Viatura da PC foi incendiada por Riquelme depois que Polícia Civil descobriu envolvimento do criminoso em furtos ocorridos em loja da região central de Niquelândia, em 2015 [Foto: Arquivo/Jornal Diário do Norte/Reprodução]
Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar