Niquelândia

“Hoje eu bati. Amanhã irei matar, porque só assim resolverei o problema”, afirma homem preso pela PM após agredir esposa

Willian Lopes dos Santos, de 29 anos, provocou escoriações, lesões e hematomas em diversas partes do corpo de sua esposa, Patrícia Mendes Correa, de 35 anos, numa casa do Jardim Aurora, na madrugada da segunda/16: autuado em flagrante, agressor doméstico está na cadeia

Em caso que chegou ao conhecimento da imprensa de Niquelândia somente na manhã desta quarta-feira (18), as polícias Civil e Militar de Niquelândia registraram um episódio dramático de violência doméstica no início da madrugada da segunda-feira (16) numa casa do Jardim Aurora, na cidade do Norte do Estado.

De acordo com o Registro de Atendimento Integrado (RAI) das duas forças de Segurança Pública locais, um homem de 29 anos – posteriormente identificado como sendo Willian Lopes dos Santos – foi preso em flagrante pela PM após causar escoriações, lesões e hematomas em diversas partes do corpo de sua esposa, Patrícia Mendes Correa, de 35 anos.

Na oportunidade, ela foi agredida com socos, pontapés – e pauladas – dentro do banheiro da casa – por motivos que ainda serão esclarecidos no decorrer das investigações que serão feitas pela Polícia Civil.

Sempre de acordo com o relato da PM, William Lopes teria resistido e desobedecido a ordem de voz de prisão dos militares em serviço, para que saísse da casa.

Dito e feito – dada a gravidade do caso – os militares decidiram entrar no imóvel e algemar o rapaz, sendo necessário o emprego de força física pois William estava em notório estado de descontrole emocional.

AMEAÇA À MULHER NA FRENTE DOS PMs – “Hoje eu bati. Amanhã irei matar, porque só assim resolverei o problema”. A frase-título desta reportagem, segundo os militares, teria sido dita pelo agressor doméstico dentro da viatura quando o casal era conduzido ao Hospital Municipal Santa Efigênia, onde foram submetidos ao exame de corpo-delito.

Se isso não fosse o bastante, os PMs também atestaram que, no aguardo pelo atendimento no hospital  de Niquelândia,  foram fortemente desacatados pelo rapaz (com expressões que o Portal Excelência Notícias se reserva ao direito de não publicar, em respeito aos nossos leitores) onde questionava a decisão da PM em prendê-lo, sob o argumento de que era um ‘trabalhador’.

DESTEMPERO COMPLETO – O ‘circo de horrores’ provocado por William Lopes na recepção do hospital público do município foi além: o rapaz provocou um dos PMs para que tirasse seu revólver da cintura, chamando-o para a briga, para que trocassem socos.

Na ocorrência, a PM relatou que pacientes que aguardavam atendimento no local – de tão revoltados que ficaram com as cenas – se ofereceram para testemunhar na Polícia Civil o comportamento agressivo de William.

Um homem – cuja identidade iremos preservar – formalizou essa disposição aos militares: inconformado, William Lopes continuou xingando os PMs e a própria testemunha, com palavrões e gestos obscenos.

Uma vez apresentado o caso à delegacia de Niquelândia, o delegado-plantonista Rafhael Neris (de Uruaçu) autuou o rapaz em flagrante pelos crimes de lesão corporal e ameaça (ambos com base na Lei Maria da Penha, que trata da punição aos agressores domésticos) e desacato (contra os PMs) sendo recolhido à Unidade Prisional de Niquelândia (UPN) no Bairro Santa Efigênia, onde aguardará decisão da Justiça.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar