Publicidade

Niquelândia

Vítima de estelionato, comerciante de remédios perde R$ 8 mil em golpe do WhatsApp clonado

Falsários se fizeram passar por uma prima da empresária da cidade do Norte do Estado, que não desconfiou de nada e fez três transferências bancárias para agências da Caixa Econômica Federal no Pará: Polícia Civil de Niquelândia vai investigar o caso

Uma empresária de 57 anos – proprietária de uma farmácia na região central de Niquelândia – procurou a Delegacia da Polícia Civil da cidade localizada no Norte do Estado na manhã deste sábado (13) para relatar que foi vítima de um golpe através do aplicativo de mensagens WhatsApp. O prejuízo supera a casa dos R$ 8.000,00.

De acordo com o Registro de Atendimento Integrado (RAI) registrado pelo delegado Gerson José de Sousa, a vítima relatou que por volta das 19h55 da sexta-feira (12), recebeu uma mensagem em seu WhatsApp de um determinado número de telefone, que seria de uma prima sua, identificada na ocorrência apenas pelo primeiro nome “Dirany”.

Como ambas se conhecem há muitos anos, a pessoa que seria “Dirany” pediu para a comerciante de medicamentos que lhe concedesse um empréstimo no valor de R$ 2.567,00. Depois, solicitou à vítima que fizesse uma transferência para uma determinada conta-poupança da Caixa Econômica Federal, em nome de Luciano da Conceição Paiva.

Algum tempo depois, “Dirany” fez novo contato com a vítima e pediu uma nova transferência – desta vez no valor de R$ 2.727,00 – para a mesma conta da primeira transação eletrônica.

Os golpistas ainda ludibriaram a vítima pela terceira vez em poucos minutos, já que a proprietária da farmácia em Niquelândia também transferiu mais R$ 2.822,00, numa conta em nome de Luciano Kleber Ribeiro.

Os estelionatários ainda pediram uma quarta transferência – no valor de R$ 2.941,00 para uma conta em nome de Joab Martins da Silva – que não foi concretizada por falta de fundos na conta da comerciante niquelandense.

A DESCOBERTA – Na manhã deste sábado (13), conforme relatou à PC, a proprietária da farmácia acessou a página de sua filha no Facebook, por volta das 6 horas. De imediato, ela viu uma mensagem de sua prima Dirany – esta sim, a verdadeira – onde a parente informava que o número do seu celular havia sido clonado horas antes, ainda na sexta-feira/12; e que pessoas se passando por ela estavam pedindo dinheiro às pessoas de sua lista de contatos.

Por fim, a vítima conseguiu o número do marido de Dirany, e ligou em seguida para o novo número da prima. Esta, então, confirmou que precisou trocar às pressas seu antigo número de telefone, ao descobrir que o mesmo estava sendo usado indevidamente por estelionatários.

Dessa forma, a proprietária da farmácia acabou amargando um prejuízo de exatos R$ 8.116,00 nas três transferências que fez para as contas bancárias dos fraudadores, em duas agências da Caixa Econômica Federal localizadas em Belém/PA.

DESCONFIE SEMPRE – Em abordagens por WhatsApp desse tipo – quando há pedidos de empréstimo de dinheiro em situações de urgência sob o pretexto de algum grau de parentesco – a Polícia Civil de Niquelândia orienta as pessoas que liguem para o telefone do suposto familiar, para tentar confirmar a real identidade de quem está do outro lado da linha antes de efetuar a transferência bancária.

NOTA DA REDAÇÃO: Reportagem atualizada às 12h52 desta segunda-feira (15/04) com a retirada do nome da vítima do texto divulgado originalmente no sábado/13, para não ensejar abertura de processo judicial por parte da vitima em desfavor Portal Excelência Notícias pela divulgação de seu nome na reportagem inicial, sob argumento do direito à privacidade. Lamentamos o posicionamento da comerciante e desejamos, verdadeiramente, que ela se recupere financeiramente e emocionalmente do prejuízo causado pelos golpistas. Todavia, o Portal Excelência Notícias reitera seu compromisso com a transparência na informação e o direito a liberdade de imprensa.

A DIREÇÃO

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar