Publicidade

Niquelândia

Queda de raio na zona rural mata oito cabeças de gado: prejuízo de R$ 20 mil, além do susto em mãe e filha

Descarga elétrica ocorreu no Povoado do Acaba Vida por volta das 9h30 desta segunda-feira (11): além da morte dos bovinos, acidente interrompeu o fornecimento de energia no Sítio Sagrado Coração de Jesus após danos em equipamentos da Enel Distribuição e em todas as tomadas da casa-sede da propriedade

A professora Gleice Francisco de Moura e sua mãe Maria das Graças Batista, também professora, passaram momentos de muito medo por volta das 9h30 desta segunda-feira (11) quando houve a queda de um raio na região do Povoado Acaba Vida, zona rural de Niquelândia, distante 120 quilômetros da área urbana da cidade.

Chovia muito naquele momento e, com a força da descarga elétrica, oito animais que estavam no Sítio Sagrado Coração de Jesus – onde vivem Gleice e Maria das Graças – morreram eletrocutados. Até então, a família possuía 44 cabeças de gado, todos de corte.

Os oito animais mortos em função do temporal e dos raios estavam em processo de engorda para serem vendidos no próximo mês de maio, por R$ 2,5 mil cada.

Além do prejuízo de aproximadamente de R$ 20 mil com a morte dos bovinos, Gleice relatou com exclusividade ao Portal Excelência Notícias, por volta das 19h30, que toda a instalação elétrica da casa-sede do sítio ficou comprometida com o acidente.

O medidor de energia (padrão) e o transformador (no poste) da Enel Distribuição; o disjuntor (chave-geral); e todas as tomadas da casa estouraram no momento da descarga elétrica. Felizmente, não houve incêndio.

O sítio está sem energia desde então. Mãe e filha estão abrigadas na casa de um irmão no vizinho Povoado do Machadinho, a 10 quilômetros do Acaba Vida.

ESTOURO IGUAL A DE UMA BOMBA – “Nós só escutamos um estrondo muito forte, como se estivesse explodido uma bomba dentro da nossa casa. Logo saímos para ver o tinha acontecido. Assim que abrimos a porta, seis bois tinham morrido na hora; e os outros dois estavam ‘acabando de morrer’. Eles aguentaram só mais 30 segundos. Nossa preocupação, de momento, era descobrir se havia algo pegando fogo, mas houve apenas o estouro da fiação; do medidor; das tomadas; e do disjuntor. Foi uma cena terrível, foi algo muito assustador”, detalhou Gleice.

Tão logo aconteceu o fato, a professora acionou seu irmão Weliton Francisco de Moura, que estava na região central de Niquelândia. Ele foi até o escritório da Enel no Jardim Aurora para formalizar uma reclamação; e retirar os protocolos sobre os prejuízos da família com o acontecido no sítio.

Porém, segundo Gleice, a concessionária de energia elétrica não deu nenhuma previsão de quando serão substituídos o medidor e o padrão danificados com a queda do raio na Acaba Vida.

“Eles (os atendentes da Enel) só falaram para o meu irmão (Weliton) que isso (o reparo) trata-se de um processo muito demorado”, comentou a professora.

Com relação aos animais mortos, Gleice informou as carcaças ainda permanecem no local onde houve a queda do raio.

A família aguarda apoio de algum maquinário pesado (um trator da Prefeitura de Niquelândia ou de alguma propriedade rural nas proximidades) para que as cabeças de gado possam ser removidas do sítio; ou enterradas no próprio Acaba Vida, em local distante da casa-sede, nesta terça-feira (12).

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar