Publicidade

Niquelãndia/Faz Tudo

Rapaz de 22 anos morre afogado ao tentar dar banho em cavalo em lagoa na zona rural

Osair de Moura Silva estava em cima do animal durante travessia na Fazenda Rio das Pedras: cavalo afundou parcialmente e saiu da água, mas o rapaz não teve a mesma sorte. Ele foi resgatado sem vida pelo Corpo de Bombeiros com apoio da Polícia Civil de Niquelândia

Osair de Moura Silva, de apenas 22 anos, morreu afogado por volta das 13 horas desta sexta-feira (1º) numa fazenda do Povoado Faz Tudo/Vila Taveira, distante 45 quilômetros da área urbana de Niquelândia pela rodovia BR-414.

De acordo com o agente de investigação da Polícia Civil da cidade do Norte do Estado, Erlandsson Bonfim de Sena – que acompanhou o trabalho de resgate do Corpo de Bombeiros e do Instituto Médico Legal (IML) no local – Osair e um amigo estavam na Fazenda Rio das Pedras (a 15 quilômetros do centro do pequeno povoado) resolveram dar banho num cavalo que estava com eles quando ocorreu a tragédia.

“Nessa travessia, o animal deu uma ‘afundada’ na lagoa e o rapaz (Osair) afundou junto. Só que o cavalo, naturalmente, conseguiu nadar e sair na frente dele. E esse menino- de acordo com o relato do relato de uma testemunha que é menor de idade – emergiu das águas da lagoa por três vezes, batendo os braços e depois acabou afundando. Esse menor pediu ajuda para uma terceira pessoa, que também não sabia nadar. Só que não havia mais tempo hábil para socorrer o Osair”, detalhou o policial civil por volta das 21 horas ao Portal Excelência Notícias.

Após 50 minutos de buscas, por volta das 15h50, os Bombeiros de Niquelândia encontraram o corpo de Osair, submerso na lagoa. Por volta das 19 horas, o IML recolheu o corpo do jovem e levou para Uruaçu para as providências de praxe para liberação à família e posterior sepultamento, que deverá ocorrer neste sábado (2).

CUIDADOS – O triste fato, infelizmente, marca negativamente o início do feriadão do Carnaval no município. O Corpo de Bombeiros de Niquelândia explica que, devido ao forte calor, é comum que pessoas inadvertidas busquem refresco em lagoas e rios da zona rural, sem saber a profundidade exata dos locais onde estão nadando/mergulhando.

Áreas aparentemente rasas podem se revelar verdadeiros arcabouços aquáticos em poucos segundos. Essa falta de cautela pode resultar em mortes por afogamento, principalmente se a pessoa tiver acabado de alimentar, mesmo que a pessoa saiba nadar.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar