Eleições 2020Niquelândia

Fernando Carneiro vai disputar reeleição à prefeitura com Carlos da Líder na vice da chapa PSD-DEM

Aliança local entre os dois partidos foi facilitada graças ao entendimento de Vilmar Rocha e Ronaldo Caiado em prol do senador Vanderlan Cardoso (PSD), que será candidato em Goiânia: tal desfecho na cidade do Norte, porém, inviabilizou a pré-candidatura de Evaldo Rincon (DEM) ao cargo de prefeito

Após um dia inteiro de muitas conversações e negociações, o grupo político que apoia o prefeito de Niquelândia, Fernando Carneiro (PSD) decidiu, por volta das 22h30 da terça-feira (15), que o atual chefe do Executivo irá disputar a reeleição para um eventual segundo mandato tendo o empresário Carlos Roberto Oliveira, o Carlos da Líder (DEM) como candidato a vice-prefeito na chapa.

Eleito no pleito suplementar de junho de 2018 com mais de 71% dos votos válidos, o atual prefeito de Niquelândia já não contava, há mais de um ano, com a presença efetiva de um vice-prefeito no dia a dia das decisões do Executivo.

Saullo Adorno (PTB) – o segundo na linha sucessória de Niquelândia – tornou-se desafeto político do atual prefeito nos primeiros meses de 2019. Desgastado com o episódio, o ex-vereador por dois mandatos decidiu não disputar eleições este ano.

Tal conjuntura fez com que a vaga aberta para a eventual eleição de um novo vice-prefeito na chapa da situação em Niquelândia se tornasse o assunto mais comentando na ‘bolsa de apostas’ dos bastidores da política local.

ENTENDA A UNIÃO DE PSD E DEM – Legendas dissidentes até então – o PSD foi fundado em Goiás em 2011 por Vilmar Rocha, que rompeu politicamente naquela ocasião com o então deputado federal e atual governador Ronaldo Caiado (DEM) – os dois partidos selaram aliança histórica na última semana à disputa da Prefeitura de Goiânia tendo o senador Vanderlan Cardoso (PSD) como candidato ao Poder Executivo da capital.

Dessa feita, a união do PSD com o DEM em Goiânia abriu a possibilidade de que a mesma aliança fosse efetivada pelos dois partidos nas disputas pelas prefeituras do interior do Estado, como o que acabou ocorrendo em Niquelândia.

Porém, a convergência de forças na cidade do Norte do Estado não foi assim tão prática e simples assim: o engenheiro agrônomo Evaldo Rincon – derrotado em três oportunidades seguidas na disputa pelo cargo máximo do Poder Executivo – era o pré-candidato do Democratas à eleição municipal deste ano.

Antes da junção PSD-DEM em Goiânia – que se refletiu severamente nestes últimos dias em Niquelândia – Evaldo Rincon lutou por vários meses como pré-candidato.

Da noite para o dia, Evaldo passou à condição de pré-candidato a vice-prefeito de Fernando Carneiro entre a manhã e a tarde desta terça-feira; e foi dormir sem a oportunidade de disputar cargo algum nas eleições municipais deste ano.

Empresário muito bem-sucedido em Niquelândia no ramo de móveis e eletrodomésticos, Carlos “da Líder” tem esse apelido em referência a uma de suas lojas em Niquelândia, a Líder Móveis.

Ele nunca disputou eleições e, até meados de março deste ano, era o pré-candidato do DEM à Prefeitura de Niquelândia. Porém, atendendo um expresso pedido de seus familiares, abriu mão do inédito protagonismo político em favor da pré-candidatura de Evaldo, para quem transferiu o comando do DEM local no início de 2018, na presença de Caiado.

O então vice de um nome (Evaldo) que virou vice de outro nome (Fernando), vale ressaltar, goza de um enorme prestígio político junto ao governador.

Carlos da Líder é apoiador histórico de Caiado há 20 anos, que o chama carinhosamente de “Carlos Móveis” nas suas visitas a Niquelândia.

Por essa proximidade com Caiado, Carlos é considerado uma espécie de ‘dono do DEM’ em Niquelândia, dada sua força política no município. E Caiado lhe atende em seu celular pessoal, sempre que solicitado.

Além dessa condição especialíssima – praticamente uma garantia de que a Prefeitura de Niquelândia num eventual segundo mandato de Fernando Carneiro será atendida com um volume maior de recursos, obras e benefícios – Carlos da Líder também foi beneficiado nesse embate interno do DEM para a vaga de vice do PSD por uma série de particularidades da política local.

Ao longo desse intenso dia de convenções, o Portal Excelência Notícias apurou junto a interlocutores do atual prefeito e pré-candidato a reeleição – sob a condição de total anonimato – que o grupo político de Fernando Carneiro era praticamente todo contrário que Evaldo Rincon compusesse a chapa como candidato a vice-prefeito.

O QUE PESOU CONTRA EVALDO – Primeiro, porque havia o receio de que Fernando Carneiro fosse alvo de uma nova tentativa de um segundo vice-prefeito chegar ao poder, de forma abrupta: político experiente, Evaldo Rincon poderia querer romper a qualquer momento caso ambos fossem eleitos, fato esse que poderia provocar instabilidade política na eventual nova gestão.

Segundo, porque Evaldo e sua esposa – a vereadora Iris Rincon (DEM), que vai disputar reeleição para a Câmara Municipal de Niquelândia – sempre foram ferrenhos opositores do atual prefeito da cidade, com críticas administrativas que jamais foram completamente digeridas pelo ‘núcleo duro’ do grupo que apoia um novo mandato para Fernando Carneiro.

Terceiro, porque Carlos da Líder – como empresário articulado que é – é sabedor de que a manutenção dos salários em dia do funcionalismo público, algo recentemente alcançado pela gestão atual, favorece a economia da cidade pela maior circulação de dinheiro nos estabelecimentos de seus colegas-comerciantes em Niquelândia.

E por fim, o quarto e último motivo: vetado pela família à disputa do cargo de prefeito de Niquelândia, Carlos da Líder não representaria substancial ameaça à tomada do poder de Fernando Carneiro – “no tapetão”, como se diz no futebol – conjuntura essa reforçada pela amizade anterior de ambos, fora do campo da política.

CAMPANHA INICIA DIA 27 – Nos próximos dias, PSD e DEM formalizarão o pedido de registro das candidaturas de prefeito e de vice-prefeito, respectivamente, junto à 41ª Zona Eleitoral de Niquelândia.

Caso as requisições não sofram nenhum tipo de contestação pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário da cidade, a campanha eleitoral terá início oficialmente no próximo dia 27 de setembro, um domingo.

A eleição está marcada para o dia 15 de novembro, feriado da Proclamação da República, que também cairá num domingo. O pleito ocorreria no próximo dia 3 de outubro, mas foi adiado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em todo o País por causa da pandemia da Covid-19.

Palavras-chave

Veja também

Veja também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
×

Converse online pelo WhatsApp com o Portal Excelência Noticias

× Fale agora com o Excelência Noticias