Publicidade

Niquelândia

Homem que tinha caso com prostituta mata ‘cliente’ da amásia em ‘barzinho’ perto da rodoviária

Ailton Ribeiro da Silva, de 30 anos, foi tomado por crise de ciúme quando viu mulher sair de quarto na Rua Coronel Delfino na companhia de Francisco Pereira do Nascimento, de 59 anos: vítima levou uma facada na barriga e morreu logo depois

Vinte e quatro horas após o único golpe de faca que culminou com a morte de Francisco Pereira do Nascimento – de 59 anos, em um local de prostituição da região central de Niquelândia por volta das 17 horas da quarta-feira (7) – o delegado-titular da Polícia Civil da cidade do Norte do Estado, Gerson José de Sousa, aceitou falar com o Portal Excelência Notícias sobre as motivações do autor do homicídio, Aílton Ribeiro da Silva, de 30 anos.

Embora seja pública e notória a informação de que tal fato teria ocorrido por questões de natureza passional, pouco se sabia – ao menos formalmente – como tudo aconteceu.

De acordo com a autoridade policial, policiais civis sob seu comando – lotados no Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da cidade – apuraram que a mulher-pivô do assassinato trabalhava como prostituta num ‘barzinho’ da Rua Coronel Defino, perto do Terminal Rodoviário de Niquelândia.

Como todos sabem, prostituir-se deixou de ser crime há muitos anos. Porém, moradores das imediações do local sofrem há vários anos por tal área ser um ‘ponto’ conhecido de concentração das ‘profissionais do sexo’; e também de ‘clientes’ ávidos por prazer a dois, dispostos a pagar por esses ‘serviços’.

Porém, o assassinato teve um ‘componente especial’: Ailton era ‘ficante’ da prostituta com quem Francisco havia acabado de ter relações sexuais.

Por mais estranho que possa parecer, detalhou Gerson, ele consentia que a mulher-prostituta exercesse a ‘atividade’ entre quatro paredes, com outros homens.

E o rapaz – que não tinha antecedentes criminais, segundo o delegado de Niquelândia – simplesmente perdeu a razão quando viu sua ‘amada’ deixando o quarto com a vítima, quase sexagenário.

Segundo o delegado, ambos não se conheciam antes do bárbaro assassinato. Ailton, que estava alcoolizado, foi tomado pelo ciúme e não hesitou em lavar a honra com sangue.

“A mulher realmente era prostituta daqueles ‘barzinhos’ perto da rodoviária. Ela começou a namorar com esse rapaz (Ailton) – que foi o assassino – há cerca de um mês e meio. E ele a ‘autorizava’ a continuar fazendo ‘programas’, naquele local. No dia do fato, ele (Ailton) foi para lá (o bordel) e ela (a prostituta) estava saindo de lá, com a vítima (Francisco). Na hora que o Francisco saiu do quarto, o Ailton deferiu-lhe o golpe fatal com a peixeira”, relatou o delegado de Niquelândia – com exclusividade ao Excelência Notícias – por volta das 17 horas desta quinta-feira (8).

No momento do crime, a Polícia Militar (PM) da cidade agiu rápido e prendeu Ailton em flagrante. Francisco, a vítima, chegou a ser socorrido pela Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros ao Hospital Municipal Santa Efigênia, mas morreu pouco tempo depois.

Cumpridas as formalidades legais, logo após ser autuado por Gerson de Souza pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil, Ailton foi recolhido à Unidade Prisional de Niquelândia (UPN), a cadeia local, onde irá aguardar o pronunciamento da Justiça.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar