CoronavírusNiquelândia

Socorrida às pressas para Goianésia, mulher de 54 anos é a 9ª vítima fatal da Covid-19 em Niquelândia

Irene Bruno morreu por volta da uma hora da madrugada desta sexta/31 e foi sepultada ainda na manhã de hoje, no Cemitério São José: morte rápida apenas três dias do aparecimento dos primeiros sintomas do novo coronavírus

Uma mulher de 54 anos, a 9ª vítima fatal da Covid-19 em Niquelândia, foi enterrada às 7h30 da manhã desta sexta-feira (31) no Cemitério Municipal São José, na Vila Mutirão, sem velório.

Irene Moreira Silva Bruno morreu por volta da uma hora da madrugada de hoje na UTI de um hospital particular de Goianésia, a 150 quilômetros de distância entre os dois municípios.

Ela havia sido transferida às pressas para a cidade do Vale do São Patrício na tarde da quinta-feira (30) na UTI Móvel do Hospital Santa Marta – da rede particular, em Niquelândia – onde recebeu os primeiros cuidados médicos.

No final da manhã de hoje, uma pessoa próxima do convívio da família aceitou conversar com o Portal Excelência Notícias – sob a condição de total anonimato – para detalhar a rápida evolução do quadro clínico de Irene que culminou com o óbito, de maneira muito repentina

A priori, restou apurado que a disseminação da Covid-19 na família de Irene ocorreu através de um jovem do sexo masculino, que trabalha numa multinacional bastante conhecida.

Tal empresa custeou o exame e constatou o diagnóstico positivo do rapaz para a doença.

A partir daí, houve a recomendação da empresa-empregadora para que todos que tiveram contato direto com seu colaborador fossem testados para sabem se haviam contraído do novo coronavírus.

Esse paciente já cumpriu a quarentena obrigatória e está recuperado da doença.

Irene, porém, não teve a mesma sorte e começou a apresentar os primeiros sintomas característicos da Covid-19 na última segunda-feira (27).

De acordo com a fonte ouvida pelo Excelência Notícias, havia a previsão de que o resultado do exame feito em Irene em um laboratório particular fosse entregue justamente ontem, quando ela passou mal.

Dada a urgência da transferência para o hospital de Goianésia, a família conseguiu acesso rápido à testagem de Irene para Covid-19, que deu positivo para a doença.

PULMÕES COMPROMETIDOS – Conforme o relato da fonte ouvida em caráter confidencial pelo Excelência Notícias, Irene passou a semana toda não se sentindo muito bem, mas não procurou atendimento médico inicial.

Ontem, como seu quadro de saúde havia se agravado, o esposo a levou para o Hospital Santa Marta. Irene teria chegado ao local com apenas 40% da capacidade respiratória dos pulmões.

De imediato, Irene foi intubada no hospital particular de Niquelândia, ao passo que os familiares buscavam uma vaga de UTI nos HCamp de Goiânia e de Porangatu, sem sucesso, através da regulação da Secretaria Estadual de Saúde, para a transferência da paciente em caráter de urgência.

Uma médica que atua no Hospital Santa Marta, amiga da família, agiu rápido e intermediou a localização de uma vaga de UTI num hospital particular de Goianésia.

Mesmo com o suporte avançado da UTI Móvel do hospital particular, relatou a fonte do Excelência Notícias, Irene teve duas paradas cardíacas no trajeto entre Niquelândia e Goianésia.

Ela chegou à cidade no início da noite, chegou a ser internada na UTI em Goianésia, mas não resistiu à gravidade da infecção pulmonar provocada pela Covid-19 e morreu logo na primeira hora da madrugada desta sexta-feira.

O BALANÇO DA COVID-19 EM NIQUELÂNDIA – Antes da nono óbito provocado pelo novo coronavírus na cidade do Norte do Estado, o boletim epidemiológico divulgado às 18h55 de ontem pela Secretaria Municipal de Saúde de Niquelândia atestava 191 casos confirmados da doença, com 143 pacientes recuperados.

Isso representa 74,86% de taxa de cura no município, cujos índices de recuperação dos pacientes estavam na casa dos 60% nos últimos 10 dias, já apresentando tendência de elevação por esse aspecto positivo.

A sétima e oitava mortes pela Covid-19 vitimaram, respectivamente, uma mulher de 88 anos; e um homem de 76, entre o final e o começo dessa semana.

Segundo o médico diretor-clínico do Hospital Municipal Santa Efigênia, Gledson Maia, os dois pacientes eram portadores de várias comorbidades que, em função da presença do novo coronavírus, contribuíram para o agravamento do quadro de ambos até a ocorrência dos óbitos.

DIAS DIFÍCEIS – “Eram pacientes que já tinham uma precária situação de saúde, anteriormente. A idosa, que ficou quase dois dias internada conosco no hospital, sofria de problemas cardíacos prévios, tendo inclusive passado por cirurgia em função disso; e o senhor, por outro lado, com a idade bastante avançada – 88 anos – era hipertenso, diabético; e com histórico anterior de problemas pulmonares, com várias pneumonias recorrentes. Ele chegou no hospital já em estado grave; foi internado e faleceu no dia seguinte. Estamos vivendo dias muito difíceis, infelizmente”, relatou o diretor-clínico do Hospital Municipal de Niquelândia.

ATUALIZAÇÃO DOS NÚMEROS –  Nesta sexta-feira/31, às 19h45, a Secretaria Municipal de Saúde de Niquelândia divulgou novo boletim epidemiológico da Covid-19 na cidade. Em relação ao boletim de ontem, foram confirmados mais 13 novos casos do novo coronavírus no município. O total de infectados agora soma 204 pessoas, sendo que 155 já se recuperam da doença [75,86%]. Os nove óbitos confirmados representam 4,41%, de tal forma que a taxa de letalidade de Niquelândia continua maior que as médias nacional e estadual.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar
×

Converse online pelo WhatsApp com o Portal Excelência Noticias

× Fale agora com o Excelência Noticias