CoronavírusGoiânia/Niquelândia

Morto por Covid-19 aos 38 anos em Goiânia, segurança é a 6ª vítima fatal da pandemia em Niquelândia

Weberson Alves dos Santos, conhecido popularmente como Binha, não resistiu às complicações da doença e morreu por volta das 18h30 desta quinta-feira/23: o quinto óbito, também confirmado hoje, havia ocorrido há duas semanas no Hospital Municipal Santa Efigênia

O segurança de festas e eventos Weberson Alves dos Santos, de 38 anos – popularmente conhecido em Niquelândia como Binha – morreu por volta das 18h30 desta quinta-feira (23), vítima da Covid-19, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Garavelo, em Aparecida de Goiânia, onde estava internado em estado grave há oito dias.

Ele era portador de diabetes; problemas cardíacos; e também sofria de obesidade mórbida, comorbidades médicas que tornavam ainda mais delicadas as suas chances de sobrevivência frente ao vírus.

“Sempre tivemos muito cuidado, pois achávamos que essa pandemia era um problema muito sério. Antes disso [de contrair a Covid-19], ele [Binha] já estava com a imunidade baixa”, havia informado a esposa Marty Salgado, na manhã da quarta-feira/22 ao Portal Excelência Notícias, via WhatsApp

NÚMERO DE INFECTADOS SOBE PARA 166 – Oficialmente, o segurança é a sexta vítima fatal do novo coronavírus na cidade do Norte do Estado, dentre as 166 pessoas que contraíram a doença no município desde o início da pandemia, em março.

Por outro lado, o boletim epidemiológico divulgado pela Saúde em Niquelândia atestou um numero expressivo hoje: exatamente 100 pessoas se recuperaram da Covid-19 no município, o que representa 60,24% do total de infectados.

INFELIZMENTE, PERDEMOS” – Foi dessa forma que a esposa de Binha informou a familiares, amigos mais próximos e ao Excelência Notícias, via WhatsApp, sobre o falecimento do esposo, no início da noite de hoje.

No início da tarde de sábado (18), com o marido já internado na UTI em Aparecida, Marty detalhou que Binha apresentou sintomas de gripe e falta de ar na noite da terça-feira/14 ainda na residência da família, em Niquelândia.

Dada a urgência do caso – e a demora recorrente à liberação do resultado de exames gratuitos para Covid-19 feitos pelo Lacen – a família custeou o exame PCR num laboratório particular de Niquelândia na quarta-feira/15, que atestou positivo para coronavírus.

Inicialmente atendido no Hospital Santa Marta, Binha foi transferido para o Hospital Municipal Santa Efigênia onde a Secretaria Municipal de Saúde deu sequência aos trâmites necessários para a internação na capital, na quinta-feira/16.

Por volta das 23 horas da sexta-feira/17, conforme relato de Marty, ela foi informada por telefone que o segurança seria intubado por decisão da equipe médica, já que a respiração de Binha se apresentava muito ofegante.

O segurança, consciente até então, foi cientificado pelos intensivistas do Hospital Garavelo do quadro; e concordou com o procedimento, de acordo com a esposa.

Desde então – em mensagens para um número muito restrito de pessoas pelo WhatsApp – Marty relatava que o quadro clínico do marido se alternava entre grave e muito grave; com episódios febris; e oscilação da pressão arterial, ora normal, ora baixa, sem reversão positiva do quadro, culminando com seu óbito nesta quinta-feira/23.

CONSELHEIRA TUTELAR LAMENTA PERDA – “Estou muito abalada, muito triste mesmo. O Binha era uma pessoa maravilhosa, estudou junto com meu filho. Ele esteve junto com a gente, também como candidato, na campanha para o Conselho Tutelar em 2019 [Binha alcançou 271 votos, ficando na 19ª colocação, sem ter sido eleito]. Era um homem muito bom e muito honesto, mas, infelizmente, a doença veio e ceifou a vida dele”, comentou a conselheira tutelar Maria do Socorro Ferreira de Lima Reis, também por áudio, ao Excelência Notícias.

QUINTO ÓBITO TAMBÉM CONFIRMADO – Por uma trágica coincidência, a Secretaria Municipal de Saúde também informou hoje – quase que ao mesmo tempo – que o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) atestou como positivo para Covid-19 o caso de um homem de 68 anos, que morreu na noite da quinta-feira (9), no Hospital Municipal Santa Efigênia.

Trata-se da quinta morte pela doença em Niquelândia, cujo óbito estava sob investigação desde então.

A identidade deste homem – e de outras duas mulheres, que morreram na sexta-feira/17 em Goiânia e em Porangatu – permanece sob sigilo por parte da Secretaria Municipal de Saúde.

A prerrogativa de tornar ou não público o falecimento por Covid-19 – ou por qualquer outra doença – é única e exclusivamente dos familiares, em respeito ao sigilo médico, conforme preconiza o Conselho Federal de Medicina e o Ministério da Saúde.

MARILICE, SERGIPANO E BINHA – Os três óbitos por Covid-19 em Niquelândia que se tornaram públicos na imprensa local foram de Marilice Dias do Santos, de 74 anos [cujos familiares emitiam notas diárias de seu estado de saúde, autorizando que fossem divulgadas tais informações em grupos de WhatsApp e redes sociais]; de Antonio Joaquim Dias, o popular Antonio Sergipano, de 84 anos [quando uma das netas deu entrevista ao Excelência Notícias após a confirmação do teste pelo Lacen, cinco dias após o óbito]; e do segurança Weberson Alves dos Santos [ocorrida hoje, cuja internação foi noticiada há oito dias pelo Excelência Notícias, com a concordância de sua esposa, agora enlutada].

ATUALIZAÇÃO – O caixão com o corpo de Weberson/Binha chegou à Niquelândia por volta das 6 horas da manhã desta sexta-feira/24, sendo imediatamente sepultado no Cemitério Municipal São José, na Vila Mutirão, dada a proibição sanitária de se realizar velórios de pessoas vítimas da Covid-19, por tratar-se de doença altamente contagiosa.

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar