CoronavírusGoiânia/Niquelândia

Corpo do médico José Ronaldo de Menezes, vítima da Covid-19 aos 60 anos, é sepultado em Goiânia

Ex-candidato a prefeito de Niquelândia, José Ronaldo dava expediente na rede pública municipal de Goianésia, onde teria sido infectado no início do mês pelo novo coronavírus: quadro de saúde havia se agravado na última semana

Personalidade das mais queridas e populares em Niquelândia – cidade do Norte do Estado onde foi duas vezes candidato a prefeito; uma vez a vice-prefeito; e uma vez a deputado estadual – o médico José Ronaldo de Menezes foi sepultado às 15 horas desta terça-feira (19) no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia.

Como se sabe, ele morreu aos 60 anos de parada cardíaca em decorrência da Covid-19 por volta das 5 horas da manhã na UTI do Hospital Amparo, em Goiânia.

José Ronaldo de Menezes, em foto de 2008, quando disputou a Prefeitura de Niquelândia: morte prematura aos 60 anos, devido ao novo coronavírus [Foto: Jornal Diário do Norte]
Em função da doença ser contagiosa, não houve velório. Em caixão lacrado, a despedida de seus familiares mais próximos ocorreu em absoluto silêncio, sem as justas homenagens que os niquelandenses certamente prestariam a José Ronaldo.

José Ronaldo morava na capital, mas trabalhava de segunda a quarta-feira na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e no Hospital Municipal de Goianésia, onde teria contraído o novo coronavírus, em sua rotina diuturna como médico.

Ele estava internado desde o início do mês. Na semana passada, com o agravamento de seu estado de saúde, familiares do médico emitiram pequenas notas diariamente – divulgadas em grupos de WhatsApp de Niquelândia – atestando que havia comprometimento de suas funções pulmonares; e que José Ronaldo estava sendo submetido a sessões de hemodiálise.

Nascido em Niquelândia, José Ronaldo era de família de migrantes piauienses, que fizeram história na cidade do Norte do Estado [Foto: Reprodução/Internet]
LUTO OFICIAL – Em documento assinado nesta tarde pelo prefeito Fernando Carneiro (PSD), a Prefeitura de Niquelândia decretou luto oficial de três dias pela morte do médico.

A homenagem, no entanto, não suspende o funcionamento das repartições públicas da cidade.

Mesma atitude foi tomada pela Câmara Municipal de Niquelândia, na pessoa do vereador e presidente, Léo Ferreira (PSB): o Legislativo também decretou luto oficial pelo triste acontecido.

HISTÓRIAAo Portal Excelência Notícias, Paulo Helder Martins destacou que José Ronaldo era um autêntico niquelandense, filho da tradicional Família Menezes, composta por comerciantes, médicos e advogados.

Migrantes oriundos do Piauí, seus familiares eram liderados em Niquelândia por Norberto Menezes, seu avô; e por Aby de Macedo Menezes. Segundo Paulo Helder, o falecimento do médico deixa, para Niquelândia, um legado de efetivos serviços prestados à sociedade local. Tudo isso, é claro, permeado com marca do compromisso com o juramento por ele prestado para o exercício da Medicina.

EM 2012 – Conceição Veloso e José Ronaldo, candidatos a prefeita e a vice-prefeito naquela eleição: eles desistiram da campanha para dar apoio a Evaldo Rincon [Foto: Jornal Diário do Norte]
“Eles sempre se destacaram pela honestidade e humildade, valores que o doutor José Ronaldo cultivou em sua rápida passagem pela terra. Sua família se integrou perfeitamente a todas as Famílias Josefinas, tendo revelado – ao longo de sua história de vida – cidadãos e cidadãs de conduta ilibada, trabalhando com afinco pelo progresso de Niquelândia”, afirmou Paulinho.

Nas redes sociais, a população niquelandense mostrou-se bastante consternada quando a notícia da morte do médico foi realmente confirmada, pelo carinho, simplicidade e educação que José Ronaldo demonstrava para com seus pacientes.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar