CoronavírusNiquelândia

Enfermeira do Hospital Municipal é a primeira pessoa vacinada contra Covid-19 em Niquelândia

Iva Martins de Souza, de 52 anos, foi imunizada pelo prefeito Fernando Carneiro, que é médico: primeiro lote de 340 doses da Coronavac chegou na tarde desta terça-feira/19 na cidade do Norte do Estado: data histórica pelo fim da pandemia

Enfermeira do Hospital Municipal Santa Efigênia há quase três décadas, Iva Martins de Souza foi a primeira pessoa vacinada contra o novo coronavírus no final da tarde desta terça-feira/19 em Niquelândia, no Norte do Estado.

Ela tem 52 anos e já havia contraído a Covid-19, por seu trabalho na ‘linha de frente’ no atendimento à população que depende do único hospital público da cidade.

Iva contou à imprensa local que, embora tenha apresentado sintomas moderados da doença, experimentou forte abalo psicológico durante o período de sua convalescença.

A enfermeira recebeu a aplicação da dose do imunizante Coronavac [desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan/SP] diretamente pelo prefeito Fernando Carneiro (PSD), que é médico.

Do primeiro lote de 2.609 doses da Coronavac enviadas pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) às nove cidades Regional de Saúde Serra da Mesa [que fica em Uruaçu], Niquelândia foi atendida com 340 doses iniciais para os grupos prioritários.

“Quero demonstrar, nesse momento, a minha satisfação por esse dia ter chegado. Vejo que hoje, mais estruturados, estamos também mais fortes e preparados em relação a tudo o que enfrentamos no ano passado, que foi um período de muito trabalho e muita produção para nossa equipe”, comentou o diretor-clínico do Hospital Municipal, Gledson Souza Maia.

Além de parte dos profissionais da Saúde, a Coronavac será aplicada aos socorristas que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU/192); e aos internos do Abrigo dos Idosos São Vicente de Paulo, no Jardim Águas Claras.

Eles serão atendidos no próprio local onde vivem para evitar risco de contágio caso fossem deslocados par tal atendimento.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Cida Gomes – tão logo a notícia de que a pasta sob seu comando receberia as primeiras doses da Coronavac – ela recebeu ligações de várias pessoas pressionando-a com o argumento de que seriam integrantes do ‘grupo de risco’ para a doença.

Porém, Cida foi taxativa em dizer que os ‘insatisfeitos’ com sua negativa – diante do quantitativo pequeno do primeiro lote de imunizantes – procurassem realmente o Ministério Público (MP) porque nem ela e nem o prefeito da cidade poderão ser vacinados nem o primeiro momento, sob pena de serem punidos judicialmente.

SEM PRIVILÉGIOS – “O protocolo de distribuição será bem rígido. Para cada vacina, temos que pegar todos os dados pessoais de quem receber a dose, que estão no Cartão SUS; e inserir no sistema do Ministério da Saúde, que fará uma busca ativa para saber se houve o cumprimento dos requisitos necessários. Caso isso não ocorra, eu poderei ser acionada pelo MP”, detalhou a secretária de Saúde de Niquelândia.

Como se sabe, na manhã da segunda-feira/18, o governador Ronaldo Caiado (DEM) e o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, foram ao evento do Ministério da Saúde em São Paulo à retirada do primeiro lote de 183 mil doses destinadas para o Estado de Goiás.

Esse quantitativo é suficiente para atender 91,5 mil pessoas, considerando-se que a segunda dose deve ser aplicada num prazo de até 28 dias após a primeira dose.

No caso de Niquelândia, a Secretaria de Saúde decidiu que as 340 doses serão aplicadas exatamente no mesmo número de pessoas; e não para apenas 170 pois existe a previsão de que a RS Uruaçu envie receber novas remessas da vacina para a cidade, provavelmente na sexta-feira (22).

ALIVIADO, MAS CAUTELOSO – “Por isso, a população não precisa ficar preocupada. Porém, eu sigo fazendo um apelo para que as pessoas mantenham os protocolos sanitários de higiene pois, embora eu esteja um pouco mais aliviado com a chegada desse imunizante, ainda não será possível salvar vidas de um dia para o outro”, afirmou Fernando Carneiro.

No domingo/17, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial da vacina, tendo a explosão de novos casos de Covid-19 [no que está sendo chamado de “segunda onda” da pandemia da doença] principalmente após as eleições e as comemorações de final de ano.

VIRUS ESTÁ MAIS AGRESSIVO, DIZ PREFEITO – “No início [da pandemia] esse vírus pegava uma só pessoa da mesma família. Hoje, quase todos estão sendo contaminados porque esse vírus teve uma mutação; está mais agressivo; e mais violento. Por isso, reforço o pedido para que nossa população não faça aglomerações em Niquelândia”, afirmou o prefeito-médico.

QUEM NÃO DEVE TOMAR? Como nenhuma vacina contra Covid-19 foi testada em gestantes – ou em mulheres que haviam acabado de dar à luz – não há dados consolidados até agora sobre a segurança e eficácia dos imunizantes nelas.

Fora isso, nenhum tipo de vacina é recomendado para pessoas que estejam com sintomas do novo coronavírus. Como o efeito do imunizante pode ser diferente do verificado nos estudos clínicos, é recomendável que a pessoa infectada pela Covid-19 não seja vacinada nesse primeiro momento.

O NÚMERO DE DOSES, EM OUTRAS CIDADES – Além de Niquelândia (340); de Colinas do Sul (25); e de Uruaçu (440), outros seis municípios na abrangência da Regional de Saúde Uruaçu receberam o primeiro lote de vacinas contra a Covid-19, a saber: Alto Horizonte (65); Amaralina (20); Campinorte (85); Hidrolina (60); Mara Rosa (65); e Nova Iguaçu de Goiás (20).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar