Goiânia/Niquelândia

Morte de Maguito Vilela por Covid-19 deixa consternados líderes do MDB em Niquelândia

Almir Pedroso e Silva, atual presidente do MDB local; e Elias José Asmar, que presidiu a legenda por 23 anos na cidade do Norte, lamentaram a perda e relembraram presenças de Maguito no município para jogar futebol no Torneio do Trabalhador, no Estádio Ary Valadão

Lideranças históricas do MDB em Niquelândia, Almir Pedroso e Silva e Elias José Asmar visitaram a redação do Portal Excelência Notícias na manhã desta quarta-feira (13), ocasião em que lamentaram profundamente a morte do prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), companheiro político de longa data de ambos.

Como se sabe, Maguito faleceu às 4h10 desta madrugada no Hospital Albert Einstein em São Paulo, onde esteve internado por 83 dias tratando de complicações da Covid-19.

Eles estavam visivelmente consternados com a perda de um dos principais políticos de Goiás: Maguito foi vereador em Jataí [cidade onde nasceu e será sepultado, no Sudoeste do Estado]; deputado estadual; deputado federal; vice-governador; governador; senador; e prefeito de Aparecida de Goiânia por dois mandatos.

Atual presidente do MDB na cidade do Norte do Estado, Almir Pedroso destacou o enorme sentimento de perda dos correligionários da legenda em Niquelândia, pela grande liderança política que Maguito sempre foi para o Estado; e para os goianos.

“Maguito foi, realmente, uma pessoa bastante sensível em sua vida pública; ajudou as famílias carentes quando foi governador com a distribuição do pão e do leite; a isenção [do pagamento] da [conta de] água e de energia. Goiás, hoje, está perdendo, uma pessoa muito caridosa”, afirmou Almir Pedroso.

Almir ainda relembrou que Maguito Vilela sempre fazia questão de vir a Niquelândia no dia 1º de maio de cada ano, onde participava de partidas de futebol por ocasião do Torneio do Trabalhador.

O tradicional torneio era realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas de Niquelândia (Sitien), quando a entidade era liderada por Cícero Joventino de Oliveira, antes do evento ser assumido pelo Poder Executivo da cidade.

“Nessas vindas a Niquelândia, para jogar bola no dia 1º de maio, o Maguito fez amizades com inúmeras pessoas em nossa cidade. Independentemente da classe social, o Maguito compartilhava esses momentos de futebol, as brincadeiras, com todas as pessoas. Então, para nós de Niquelândia, a morte do Maguito é uma tristeza muito grande”, complementou o presidente do MDB local.

A HISTÓRIA CONTA – Luiz Teixeira, Maguito Vilela, Cícero Joventino e Pedro Chaves em Niquelândia no Estádio Ary Valadão, por ocasião do Torneio do Trabalhador que era realizado pelo Sitien, em imagem de maio de 2007 [Foto: Jornal Diário do Norte]
Elias José Asmar, outro grande companheiro político de Maguito Vilela, foi presidente do MDB em Niquelândia durante 23 anos, em períodos alternados.

Emocionado, Elias disse que, assim que soube da notícia da morte do prefeito de Goiânia solidarizou-se com o presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela, filho de Maguito, que estava em São Paulo no momento da conversa.

“Goiás está de luto e, em Niquelândia, isso não é diferente. Peço a Deus que ele ocupe lugar nobre no Céu”, destacou Elias.

O ex-presidente do MDB em Niquelândia disse que tinha esperança de que Maguito conseguisse recuperar-se da doença, dada a assistência médica de primeira linha que o ex-governador vinha recebendo no Hospital Albert Einstein.

AMIGOS DE LONGA DATA – “Eu e o Maguito tínhamos uma ligação muito grande. Ele foi vice-diretor da escola onde eu lecionava no final da década de 70, em Goiânia. Ele tinha uma história muito bonita de solidariedade para com o povo goiano. Seus programas sociais, enquanto governador, mataram a fome de muita gente, inclusive de vários niquelandenses. Tenho certeza de que muitos aqui, em nossa cidade, reconhecem a importância do Maguito para o nosso município. Ele sempre teve uma ligação muito próxima comigo e próspera com Niquelândia”, relembrou o ex-presidente do MDB, na entrevista exclusiva ao Excelência Notícias.

A ELEIÇÃO PARA PREFEITURA DE GOIÂNIA – Em 2020, mesmo hospitalizado, Maguito venceu o primeiro e o segundo turnos da eleição na capital, derrotando o senador e então candidato Vanderlan Cardoso (PSD).

O prefeito tomou posse no cargo por meio de assinatura eletrônica no dia 1º de janeiro no leito do Albert Einstein, em SP, manifestando consciência parcial sobre o fato através de gestos.

No mesmo dia, o vice-prefeito Rogério Cruz (Republicanos) assumiu o cargo, de forma interina. Com a morte do titular da vaga, o ex-vereador será o prefeito de Goiânia pelos próximos quatro anos.

Ao longo de sua longa internação na capital paulista, Maguito Vilela permaneceu a maior parte do tempo sedado, respirando por aparelhos.

O prefeito recuperou-se da Covid-19, mas ainda tratava das complicações da doença, alternando quadros de melhora e pioras significativas em função da infecção pelo novo coronavírus.

Em setembro do ano passado, duas irmãs de Maguito Vilela morreram em Jataí em consequência da doença.

Elias José Asmar e Almir Pedroso informaram que não irão aos funerais do ex-governador por entenderem que a cerimônia será bastante restrita aos familiares mais próximos.

Os dois emedebistas de Niquelândia, vale ressaltar, também fazem parte do grupo de risco para a Covid-19.

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar