Publicidade

Niquelândia

Sem energia há dois meses, agência do INSS de Niquelândia desloca perícias médicas para Uruaçu

Atendimento está paralisado devido à queima de um transformador, que precisa ser comprado pelo governo federal mediante licitação: viagem de 90 quilômetros para atendimento dificulta obtenção ou renovação do Auxílio-Doença, dentre outros serviços

Segurados que dependem da agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em Niquelândia, no Norte do Estado, estão passando por transtornos seríssimos há pouco mais de 60 dias, após a queima de um transformador de energia elétrica que paralisou por completo os atendimentos no local.

No portão principal do prédio, foi afixado um aviso que relata o fechamento temporário do prédio, que faz esquina com a Avenida Brasil e é vizinho à sede do Ministério Público (MP).

Além das questões de ordem burocrática – como requerimento de pensões, aposentadorias e outros serviços – pessoas acamadas, operadas e/ou com algum tipo de incapacidade para voltar ao trabalho estão precisando se deslocar até a agência do INSS em Uruaçu –  a mais próxima, distante 90 quilômetros de Niquelândia- para realizar uma simples perícia-médica para renovação do Auxílio-Doença.

ACAMADA E SEM O BENEFÍCIO – “Sofri uma queda dentro de casa, fraturei a terceira vértebra da coluna lombar e passei por uma cirurgia agora no início do mês de janeiro; e estou afastada das minhas funções como professora. Quando entrei no Portal do INSS para solicitar meu “Auxílio Doença”, descobri que a agência do INSS em Niquelândia não estava funcionando, por um suposto impasse com a Enel”, comentou a educadora Idelmi Alves de Oliveira Spíndola, que acionou o Portal Excelência Notícias na última quarta-feira (22).

Por causa desse transtorno, a perícia de Idelmi foi marcada pelo INSS, apenas para o dia 28 de fevereiro, na agência de Uruaçu, quando terão passados 45 dias da delicada intervenção cirúrgica. A funcionária pública está em repouso absoluto em casa, e somente levanta-se da cama para ir ao banheiro.

SOFRIMENTO TAMBÉM PARA COLINAS DO SUL – “Eu, felizmente, ainda tenho pessoas que poderão me levar (até Uruaçu) para fazer a perícia. Mas o pior, mesmo, está ocorrendo com as pessoas humildes mais; que não tem conhecimento; e estão perdidas, sem saber como fazer (para serem atendidos), principalmente o pessoal que vem de Colinas do Sul buscar atendimento do INSS aqui em Niquelândia”, completou a professora.

OUTRO CASO – A dificuldade apontada por Ildemi Spíndola também aflige a auxiliar-administrativo Lucimar Vasconcellos, também moradora em Niquelândia. Acometida há dois anos por um grave problema na coluna cervical, obteve o auxílio-doença desde então.

Ela necessita de uma cirurgia, mas como o procedimento é bastante delicado, ela tem postergado a intervenção com a prática de atividades físicas moderadas.

Como de costume, Lucimar renovava a liberação do benefício concedido por tempo indeterminado, submetendo-se regularmente à perícia médica na agência do INSS de Niquelândia para continuar recebendo os recursos da Previdência Social.

A última perícia havia sido realizada há seis meses, no próprio município. Porém – diferentemente de Idelmi Spíndola que conseguiu agendar a perícia em Uruaçu pelo site do INSS – Lucimar não conseguiu o mesmo pelo telefone 135, da Previdência.

A auxiliar-administrativo precisou ir com o marido pessoalmente à agência do INSS em Uruaçu apenas para requerer a realização da perícia médica, que já tem data: somente no dia 14 de fevereiro, com uma nova viagem e desgastante viagem de 180 quilômetros ida-e-volta entre Niquelândia e Uruaçu.

“Estou estarrecida com essa situação, com esse descaso (do INSS), ainda mais por causa de um problema num transformador de energia. Eu, felizmente – com um pouco mais de clareza – consegui buscar outra forma de garantir meu atendimento. Porém, a maior parte das pessoas que necessitam desse auxílio-doença não tem a menor possibilidade de ir a Uruaçu em busca dos seus direitos”, afirmou Lucimar, também entrevistada pelo Excelência Notícias.

PROBLEMAS TÉCNICOS” – aviso no portão da agência do INSS em Niquelândia informa suspensão do atendimento ao público pela falta de energia: dois meses à espera de um transformador [Foto: Excelência Notícias]
RESPOSTA DA ENEL E DO INSS – No decorrer da semana, o Excelência Notícias fez contato por e-mail com as assessorias de imprensa da Enel Distribuição Goiás e do INSS, ambas em Goiânia, sobre o problema da agência do INSS em Niquelândia.

A empresa italiana confirmou por meio de nota oficial, que “a agência mencionada está com o fornecimento de energia prejudicado devido à falha em um transformador que pertence ao cliente (INSS). A companhia ressalta que já realizou reuniões com representantes do órgão para esclarecer que os reparos no equipamento são de responsabilidade do cliente, conforme Resolução 414/2010, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)”, afirmou a Enel.

Por seu turno, a Seção de Comunicação Social do INSS em Goiás informou que a provável solução para o problema seria comunicada através de uma “Nota Explicativa”, da Gerência da Executiva do INSS em Anápolis, a qual é subordinada a agência do INSS em Niquelândia, o que acabou não ocorrendo até às 18 horas desta sexta-feira (24).

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
×

Converse online pelo WhatsApp com o Portal Excelência Noticias

× Fale agora com o Excelência Noticias
Fechar