Publicidade

Niquelândia

GPT/COD prende em flagrante homem que deu tiros para o alto dentro do Café Muquém

Leandro da Silva Bessa, de 29 anos, aproveitou que o local estava cheio na madrugada do sábado/6 e conseguiu descartar a arma antes de ser capturado: indivíduo já possuía outras passagens pela polícia

Policiais militares do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) de Niquelândia – em serviço noturno pelo Comando de Operação de Divisas (COD) – prenderam em flagrante, por volta das 3 horas da madrugada do sábado (6), o desocupado Leandro da Silva Bessa, de 29 anos.

Mediante denúncia anônima, o GPT/COD da cidade do Norte do Estado foi informado da suposta presença de um homem dando tiros para o alto, no local denominado “Café Muquém” – às margens da rodovia GO-532, que liga Niquelândia à mineradora Anglo American.

Apelidado pela população como o mais famoso “risca-faca” de Niquelândia por ter se tornado palco costumeiro de ocorrências policiais, muitas delas graves, o “Café Muquém” é um estabelecimento que comercializa bebidas alcoólicas aos frequentadores.

O “Café Muquém” sempre funcionou na rotatória do entroncamento da GO-237 com a GO-532, mudando-se recentemente para o local atual, a cerca de cinco quilômetros do antigo ponto. Porém, café é o que menos se vende por lá.

Na diligência ao “Café Muquém”, o GPT/COD conseguiu prender Leandro Bessa, que carregava nos bolsos uma pequena porção de maconha para consumo próprio.

Porém, a arma que ele portava – uma Pistola Ponto 40, de uso restrito às Forças de Segurança Pública – acabou não sendo localizada pelos militares.

De acordo com a ocorrência, Leandro teria jogado a arma no chão para que a autoria dos cinco disparos não fosse atribuída a ele, no momento da prisão.

Porém, o local estava cheio e isso teria facilitado a ação de algum comparsa/amigo – não-identificado pela PM – em dar “sumiço” no revólver de Leandro.

Com o dia claro e com o indivíduo já recolhido à Unidade Prisional de Niquelândia (UPN) no Bairro Santa Efigênia (depois de autuado pelo delegado-plantonista Raphael Neris Barboza pelos crimes de disparo de arma de fogo e porte de entorpecentes) a Polícia Civil esteve no Café Muquém e encontrou as cinco cápsulas deflagradas da pistola Ponto 40 que Leandro teria utilizado horas antes.

O material que sobrou das balas será encaminhado à Polícia Técnico-Científica de Uruaçu, onde será periciado. Com o laudo em mãos, o delegado Gerson José de Souza, titular da PC em Niquelândia, terá uma prova robusta para concluir e relatar o inquérito policial em desfavor do desocupado.

Segundo a PC, a pistola Ponto 40 possui tambor com capacidade para 12 disparos. Ou seja, o revólver que “sumiu” no meio da multidão no Café Muquém ainda teria sete cápsulas intactas em seu interior, o que seria suficiente para provocar uma tragédia no local.

VÁRIAS PASSAGENS – Ao Portal Excelência Notícias, a PC informou na tarde deste domingo (7) que Leandro Bessa já possuía cinco passagens anteriores pela DP pela prática dos seguintes delitos: dirigir sem CNH (em 2009); duas ameaças em ambiente familiar (em 2011 e em 2019, pelo o que se conhece hoje como “Lei Maria da Penha”); tráfico de drogas (em 2018); e tráfico com associação para o tráfico de drogas (em 2011).

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar