Publicidade

Niquelândia

Carnaniq 2019, a festa indescritível!

Prefeitura de Niquelândia, através da Secretaria Municipal de Turismo, resgatou festejo após nove anos com aval do prefeito Fernando Carneiro (PSD) e coordenação-geral da titular da pasta do Turismo, Roneide Pereira: Banda Ciclone comandou repertório variado, que animou todas as gerações e São Pedro acabou sendo também bastante gentil, ao suspender a chuva nos quatro dias de festa na Avenida Brasil. Evento terminou na madrugada desta quarta-feira (6) com saldo positivo, segundo o Poder Executivo

Marcado por muita chuva em todo o Brasil – “São as Águas de Março, Fechando o Verão”, como diz a letra composta em 1972 pelo saudoso Tom Jobim – o feriadão de Carnaval em Niquelândia, no Norte do Estado, foi o mais alegre dos últimos nove anos.  E isso não é uma afirmação tola de um jornalista-folião, que vos escreve. É pura constatação.

Primeiro, pela Banda Ciclone, bastante querida pelos foliões da cidade, que animou as quatro noites de festa entre o sábado (2) e a madrugada desta quarta-feira (6).

CASAL FORTE – Juliana Alves Campos, primeira-dama e atual secretária municipal de Assistência Social de Niquelândia, observa o rápido discurso do marido-prefeito Fernando Carneiro/PSD: de poucas palavras, chefe do Executivo autorizou resgate do Carnaval na cidade [Foto: Elaine Alves]
Desde marchinhas da das décadas de 50 e 60; baladas de rock dos anos 70, 80 e 90; hits dos anos 2000 e 2010; e a música-chiclete do momento – aquela da Jeniffer, que o cantor Gabriel Diniz conheceu no Tinder – nada passou batido do repertório da experiente banda.

Atenciosos, tiraram fotos com todo mundo que os procurou ao final do show, no camarim. Estavam, verdadeiramente, sintonizados com a vibe do resgate da festa.

SENSUALIDADE – Dançarinas da Banda Ciclone ostentaram suas belas curvas no palco montado pela Prefeitura de Niquelândia na Avenida Brasil para o Carnaniq 2019 [Foto: Elaine Alves]
Márcio Rocha – da Rádio Mantiqueira 92,3 FM, que possui estreita relação de amizade com os músicos – comandou breve momento de interação com a galera, saudando os blocos. Ele e a vocalista da Banda Ciclone derreteram-se em elogios, um ao outro.

Segundo, pela disposição do prefeito Fernando Carneiro (PSD) em realizar a festa com apoio do vice-prefeito Saullo Adorno (PTB); de sua equipe de secretários municipais, personificada na incansável Roneide Pereira, titular da pasta do Turismo, que recebeu amplo apoio da Superintendência de Comunicação (Supercom).

TIETAGEM OFICIAL – o prefeito Fernando Carneiro/PSD e a primeira-dama Juliana Campos no camarim com os integrantes da Banda Ciclone: momento de descontração em meio à pesada rotina de administrar a Prefeitura de Niquelândia [Foto: Elaine Alves]
Os cofres públicos, que sangravam há pelo menos uma década pelo desmando de gestões fraudulentas, agora pagam salários do funcionalismo em dia.

E os professores, depois de longa batalha de reuniões acaloradas, começaram a receber vencimentos não-quitados por prefeitos-antecessores ao médico que se dispôs a salvar as contas públicas da cidade.

OS DESCOLADOS E AS BELDADES – Geriana Joaquim da Silva (secretária de Governo), Arnaldo Nolasco (Chefe de Gabinete) e Vanderley Antonio (assessor do prefeito Fernando Carneiro) com as dançarinas da Banda Ciclone, no camarim [Foto: Elaine Alves]
Ainda que tenha muita coisa para melhorar na esfera administrativa, o município tinha verdadeiramente o que festejar.

E terceiro, pela boa vontade de São Pedro – ou “Pedroca”, para os mais chegados – de resolver dar faxina no Céu horas antes que o Carnaniq começasse, para que todo mundo pudesse se divertir no asfalto molhado da Avenida Brasil, mas com muito calor humano e alegria de viver.

BANDA QUE SE RENOVA – Os anos passaram mas a Banda Ciclone segue aprimorando-se a cada dia, incorporando novas músicas a seu repertório e resgatando sucessos do passado: apresentação que agradou todas as gerações no Carnaniq 2019 em Niquelândia [Foto: Elaine Alves]
O resgate da folia de Momo na cidade – o último carnaval oficialmente realizado pela Prefeitura de Niquelândia havia ocorrido em 2010 – foi uma mistura de sentimentos bons.

À parte de questões de cunho ideológico e político, todas as correntes da sociedade local estavam se divertindo – ‘bebemorando’, por assim dizer: a amizade prevaleceu.

MUITO AXÉ – Vocalista da Banda Ciclone, num vestido de couro preto colado ao corpo, era só euforia pelo retorno ao palco do Carnaval em Niquelândia, na Avenida Brasil: sucesso [Foto: Elaine Alves]
Animado, o histórico bloco “Os Josephinos” – dada a devoção dos paroquianos da Igreja Matriz de São José – resgatou a presença de niquelandenses que hoje moram em localidades como Goiânia ou Brasília, mas que jamais perderam o amor pela terra natal.

E blocos novos também surgiram – exemplo disso é o “Clica Que É Babado”, criado a partir de um popular grupo de WhatsApp do mesmo nome existente em Niquelândia, que contou com apoio formal do Portal Excelência Notícias, dentre outros parceiros.

O IMPORTANTE ERA SE DIVERTIR – Do alto do palco montado na Avenida Brasil, enquanto o vocalista da Banda Ciclone animava o público, era possível ter uma visão geral da receptividade e aceitação do Carnaniq 2019 em Niquelândia, após nove anos de ausência da Folia de Momo na cidade: resgate de um dos mais tradicionais festejos do Norte do Estado nessa época do ano [Foto: Elaine Alves]
Ricos e pobres, cada um de seu jeito, se misturaram com um único objetivo: ser feliz, porque a vida “normal” recomeça hoje, nas Cinzas, que marca o início da Quaresma.

Nas barracas de comes e bebes, nem mesmo os cabelos brancos de algumas personalidades tradicionais da cidade deixavam a festa menos colorida. Na “Barraca da Maçonaria”, o clima era de pura nostalgia com a volta do Carnaval em Niquelândia.

SEM TEMPO RUIM – Homem de hábitos simples – criado na pequena Mutunópolis, onde viveu boa parte de sua infância – o médico Fernando Carneiro apostou em Niquelândia há 13 anos onde fez história como profissional da Medicina e agora faz história como prefeito do município, juntamente com sua esposa e primeira-dama Juliana Campos. Na foto, o casal mais famoso da cidade na atualidade aparece ao lado dos músicos da Banda Ciclone, no camarim [Foto: Elaine Alves]
Se já não tínhamos mais o espaço da saudosa Praça Luiz Taveira, a atual Praça do Tucunaré Azul – obra sempre muito contestada – também serviu como importante ornamento ao Carnaniq 2019.

E a imensa barraca do Pingo Lanches estava lá, aberta e iluminada à noite pela primeira vez, desde que foi reaberta com a estrutura atual.

COLORIDO ESPECIAL – Vista geral do público se divertindo na Avenida Brasil em Niquelândia, palco do Carnaniq 2019: todos os detalhes da festa estiveram sob os cuidados da secretaria municipal de Turismo, Roneide Pereira [Foto: Elaine Alves]
Também não faltou Segurança Pública, porque a Secretaria Municipal de Turismo empenhou-se em trazer aparato suficiente das polícias Civil e Militar; do Corpo de Bombeiros; e de segurança particular especializada em grande concentração de pessoas.

Em resumo, em linhas gerais: Niquelândia fez o possível e o impossível para fazer o Carnaval ser possível, provando que uma boa festa pode ser feita sem gastar muito. Em tempo de vacas magras, sola de sapato e gingado no pé é mais do que o suficiente.

A FESTA, VISTA DE CIMA – Captadas com auxílio de um drone, imagens aéreas deram a exata dimensão da estrutura de som e luz armada pela Prefeitura de Niquelândia para o Carnaniq 2019 no trecho da Avenida Brasil onde está localizada a Praça do Tucunaré Azul [Foto: Carlos Faustino]
Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar