CoronavírusNiquelândia

Regional Norte do Sebrae Goiás cuida dos pequenos negócios em Niquelândia durante a crise da Covid-19

"Sebrae Cuida do Pequeno Negócio" é o tema da campanha da entidade neste mês de agosto: segundo a coordenadora do Sebrae em Porangatu, Rubya Karla Araújo, empresariado niquelandense precisa investir mais em marketing digital e entregas a domicílio para aumentar as vendas na pandemia

Com o tema “Sebrae Cuida do Pequeno Negócio”, o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) em Goiás desenvolve, neste mês de agosto, campanha de apoio ao pequeno empreendedor de Niquelândia e de todo o Norte do Estado em pleno agravamento da crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a coordenadora da Regional Norte do Sebrae em Porangatu, Rubya Karla Araújo, a entidade está realizando uma série de ações para cuidar dos pequenos negócios do empresariado niquelandense, no sentido de minimizar os impactos da Covid-19, com uma série de ações.

PROTOCOLOS DE SAÚDE – Na entrevista ao Portal Excelência Notícias, Rubya destacou que os primeiros cuidados do Sebrae com os comerciantes de Niquelândia – algo que foi muito estimulado em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Niquelândia (Acin) – foi com as pessoas, em primeiro lugar.

Por isso, a partir da adoção de protocolos de saúde criados pelo Sebrae, os estabelecimentos de Niquelândia adequaram-se aos princípios de biossegurança para garantir a saúde dos funcionários; clientes; fornecedores; e dos próprios lojistas, nas mais variadas áreas de atuação.

As orientações foram baseadas nos decretos municipal e estadual e nas normas da Vigilância Sanitária, sendo atualizados periodicamente para afastar a possibilidade de contágio pela Covid-19 no comércio de Niquelândia.

A verificação de medidas simples  – como o uso de máscaras e de álcool em gel nas empresas da cidade –  é reforçado a cada protocolo distribuído, uma contribuição a mais que torna ainda mais efetiva a participação do Sebrae e de cada comerciante de Niquelândia  no enfrentamento da pandemia.

O TAMANHO DO DESAFIO – Rubya Karla ressalta que a pandemia representou grande desafio aos empresários que tiveram seus estabelecimentos fechados por longo período, o que reforçou a atuação do Sebrae no auxílio prestado desde então. Em abril, o Sebrae Goiás criou o Curso Marketing Digital para os Empreendedores, que os orienta a adequação a essa nova realidade.

“Duas coisas, muito importantes nesse momento da gestão da crise, exigem atenção maior do empresário de Niquelândia: investimentos em marketing digital; foco nas vendas online; ampliar o serviço de entregas delivery; e a questão do crédito. O empresário tem de estar sensível com aquele cliente que não quer sair de casa e eu tenho que levar esse produto até o cliente”, afirmou a coordenadora da Regional Norte do Sebrae

CRÉDITO ASSISTIDO – Para auxiliar as empresas a tomarem a decisão correta para obterem linhas de crédito mediante empréstimo, Rubya Karla destacou a iniciativa denominada “Crédito Assistido” do Sebrae.

Com esse programa de assessoramento, o Sebrae procura esclarecer aos interessados no capital disponível que a oferta de crédito não significa dizer que o empresário está diante do que se conhece como “dinheiro fácil”, mas sim um recurso que terá de ser pago oportunamente, por mais que as taxas de juros sejam brandas.

Ou seja, que o capital seja solução para a empresa colocar suas contas em dia; e não a aquisição de mais um problema financeiro, que aumente a inadimplência da empresa.

Para tanto, durante a pandemia, o Sebrae desenvolveu o curso Microcrédito Consciente que orienta o empreendedor os caminhos para acessá-lo através de consultorias gratuitas – também de forma remota, indicando o crédito mais adequado para cada segmento.

Um exemplo disso é o Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe), fruto de um convênio firmado pelo Sebrae Nacional com o Governo de Goiás, por meio da Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento).

TODOS OS SETORES FORAM AFETADOS – Analisando a situação dos negócios em geral, Rubya Karla diz que o panorama no Norte de Goiás não diverge da realidade no restante do País. Não há, em sua apreciação, um setor da economia da região que tenha se destacado em relação aos demais.

“Todos os negócios foram impactados por terem ficado fechados por muito tempo. Claro que o Norte Goiano tem o agronegócio – que é muito forte e que figura no topo dessa lista de atividades -mas todos os ramos de atuação foram afetados. Por isso, é sempre preciso frisar para que a população de Niquelândia compre nos pequenos negócios locais. Só assim é possível movimentar a roda da economia local”, comentou a coordenadora da Regional Norte Sebrae.

ATENDIMENTO – A Regional Norte do Sebrae mantém um ponto de atendimento dentro da Associação Comercial e Industrial de Niquelândia (ACIN), para orientação ao empresariado local.

O Sebrae também atende online, através do Portal Sebrae, com vários cursos no sistema Ensino a Distância (EaD), que podem ser conhecidos pelo site https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline, e por meio do telefone 0800 570 0800, que também funciona pelo WhatsApp; pelos e-mails e telefones locais. [Com informações da Assessoria de Imprensa do Sebrae Goiás, em Porangatu]

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar
×

Converse online pelo WhatsApp com o Portal Excelência Noticias

× Fale agora com o Excelência Noticias