Publicidade

Niquelândia

Romaria do Muquém, em sua 271ª edição, é deflagrada pela Igreja Católica com expectativa de atrair 400 mil pessoas

Missa-solene de abertura nesta segunda-feira (5) foi celebrada pelo Administrador Diocesano de Uruaçu, padre Francisco Agamenilton Damascena, no estacionamento da Paróquia Nossa Senhora da Abadia: procissão até o Santuário do Muquém está em andamento

Na presença de religiosos de várias paróquias de cidades do Norte do Estado, o padre Francisco Agamenilton Damascena celebrou a Missa Solene de Abertura da 271ª Romaria de Nossa Senhora da Abadia do Muquém na tarde desta segunda-feira (5), em Niquelândia.

A procissão com o andar ornamentado com flores ao redor da imagem da santa – carregada no ombro dos fiéis mais devotados – teve início por volta das 18h30 após a celebração no estacionamento da Paróquia Nossa Senhora da Abadia, na região central do município.

O espaço ficou completamente lotado. Além das orações pessoais, a era moderna dos smartphones fez com que os participantes da eucaristia procurassem o melhor ângulo diante de Nossa Senhora da Abadia para uma ‘selfie’ especial de recordação por tão importante momento.

A caminhada de 45 quilômetros – pelo “Caminho dos Romeiros” que margeia a Rodovia da Fé/GO-237 – deverá se estender por cerca de 12 horas, com previsão de chegada ao Santuário do Muquém às 6 horas desta terça-feira (6).

Na oportunidade, a celebração para marcar a recepção da imagem peregrina será conduzida pelo padre Aldemir Franzin, reitor da igreja que comporta 22 mil pessoas sentadas num espaço de 7.200 metros quadrados.

A partir de hoje – até o próximo dia 15 de agosto, data em que se comemora do Dia da Padroeira – a Igreja Católica estima que 400 mil pessoas passem pelo Muquém.

DO ALTO – Celebração no estacionamento da Paróquia Nossa Senhora da Abadia, que está em reformas, atraiu ótimo público como já e tradição em Niquelândia [Foto: Euclides Oliveira]
Neste dia, a principal celebração será às 9 horas da manhã com a provável participação do governador Ronaldo Caiado (DEM) e demais autoridades políticas.

Em Goiás, a Romaria do Muquém é a segunda maior festa religiosa do Estado em termos de público e de dimensão, perdendo apenas para a Festa do Divino Pai Eterno, de Trindade.

Porém, quando o assunto é Romaria Mariana, a festa religiosa de Niquelândia é considerada a maior de toda a Região Centro-Oeste.

ADMINISTRADOR DIOCESANO – padre Francisco Agamenilton entrega comunhão para fiel católica na missa que marcou abertura da Romaria do Muquém, em Niquelândia [Foto: Euclides Oliveira]
Nos 10 dias, famílias de Niquelândia e de outras localidades praticamente “mudam-se” para o Muquém, levando consigo eletrodomésticos pesados (como fogão e geladeira) permanecendo o tempo todo acampados nas áreas ao redor do Santuário.

DIOCESE SEM BISPO – Pela primeira vez em muitos anos, a Romaria do Muquém foi iniciada em Niquelândia sem a presença de um bispo, já que a Diocese de Uruaçu encontra-se vacante.

Dom Messias dos Reis Silveira, que esteve em Niquelândia nos últimos doze anos para as missas de abertura e de encerramento do festejo religioso, foi transferido esse ano pelo Papa Francisco para a Diocese de Teófilo Otoni, em Minas Gerais.

MAIOR ROMARIA MARIANA DO CENTRO-OESTE – Devoção à Nossa Senhora da Abadia, em Goiás, fica atrás em público apenas para a Festa do Divino Pai Eterno, em Trindade [Foto: Euclides Oliveira]
Dessa feita, padre Agamenilton ocupa interinamente o cargo de “Administrador Diocesano” da Diocese de Uruaçu – eleito em 19 de fevereiro pelos religiosos que ela integram – até que o Vaticano nomeie o sucessor de Dom Messias.

Ao final da celebração, o religioso – cuja ordenação sacerdotal ocorreu no ano de 2001 em Niquelândia – concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal Excelência Notícias sobre a responsabilidade de celebrar as duas principais missas da Romaria do Muquém, na abertura e no fechamento do grandioso evento católico da Região Norte.

“Digo, primeiramente, que fui pego de surpresa com as ‘coisas de Deus’. Cheguei em Niquelândia pela primeira vez em 1985 e nunca me imaginei nessa situação (de ocupar o lugar do bispo). Mas fiquei feliz por Ele (Deus) ter me dado essa condição enquanto responsável de modo temporário pela Diocese de Uruaçu, com a tarefa de iniciar e de encerrar a 271 Romaria do Muquém. Para mim, esse momento é a Graça de Deus colocando-me a disposição Dele para que o Evangelho chegue às pessoas, através dessa romaria. E, como niquelandense  – já que, por muitas vezes, vi a procissão passar por essas serras acaba sendo ainda mais significativo para mim”, comentou o Administrador Diocesano de Uruaçu.

RELIGIOSOS IRMANADOS PELO MUQUÉM – Padre Agamenilton, ao microfone em Niquelândia, ladeado por frei Gilberto da Matriz de São José e outros religiosos da Diocese de Uruaçu [Foto: Euclides Oliveira]
Sobre o sermão que deverá proferir na Missa Solene do próximo dia 15 no Muquém, padre Agamenilton não quis adiantar qual será o tom de sua homilia.

Como se sabe, tanto Dom Messias e o bispo emérito Dom José da Silva Chaves – embora com estilos completamente diferentes – faziam duras críticas às práticas nocivas da classe política diante de temas como corrupção e aborto.

VILMAR MARCA PRESENÇA– Presidente estadual do PSD, Vilmar Rocha é niquelandense e optou pela discrição em meio aos paroquianos para assistir missa que marcou abertura da Romaria do Muquém, nesta segunda-feira/5 [Foto: Euclides Oliveira]
“O tom (do sermão) deve ser aquele que Deus colocar no meu coração. Mas, com certeza, é o tom da Igreja Católica, do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo. O tom do dia 15 é o tom de Maria que é a primeira a nos dizer ‘Ide, Faça o que Ele Vos Mandar’. E, acima de tudo, Jesus nos pediu para amar a Deus e ao próximo, sobre todas as coisas. Um amor que é muito concreto”, afirmou padre Agamenilton.

Ainda de acordo com o Administrador Diocesano, por tratar-se de um evento religioso quase tricentenário, a Romaria do Muquém possui uma longa história e um longo processo de evolução – marcada por erros e acertos, nas palavras dele – em que as seguidas gerações aprendem a fazer os ajustes que se mostram necessários a cada ano.

FÉ E DEVOÇÃO – Missa-Solene no estacionamento da Paróquia Nossa Senhora da Abadia, na região central de Niquelândia, marcou início da 271ª Romaria do Muquém [Foto: Euclides Oliveira]
“Isso tudo favorece o crescimento (da romaria), mas é Deus principalmente que faz isso acontecer pois, através Dele, é que somos atraídos pela ternura e pela doçura de Nossa Senhora da Abadia. Através dos meios de comunicação – principalmente, já que fazem essa mensagem do amor de Deus chegar mais longe – a romaria cresce. Porém, esse crescimento exige de nós (os padres) mais responsabilidades para acolher, para cuidar e para promover a fé entre as pessoas”, avaliou o religioso.

APOIO AOS ROMEIROS – Tanto a Prefeitura de Niquelândia, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (nas pessoas da primeira-dama Juliana Campos e do prefeito Fernando Carneiro/PSD) como o Governo de Goiás, por meio da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) montaram pontos de apoio com distribuição de lanches e assistência médica aos romeiros que fazem, a pé, o percurso de 45 quilômetros pelo “Caminho dos Romeiros” às margens da rodovia GO-237, em direção ao Muquém.

Criado em Niquelândia, onde foi ordenado sacerdote em 2001, padre Agamenilton substitui provisoriamente o então bispo da Diocese de Uruaçu, Dom Messias dos Reis Silveira, transferido pelo Vaticano para a Diocese de Teófilo Otoni [Foto: Euclides Oliveira]
Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar