Publicidade

Niquelândia

Polícias Civil e Militar apresentam balanço da “Operação Fecha Goiás”

Ação flagrou tiros de espingarda no Faz Tudo; motorista em zigue-zague que tomou catuaba; e foragido condenado por homicídio cometido em 2002

Balanço da ação integrada das polícias Civil e Militar  – disponibilizado pelo delegado Cássio Arantes do Nascimento no final da tarde da sexta-feira (13) – apresentou números considerados satisfatórios pela autoridade policial para a “Operação Fecha Goiás”, realizada na noite da quinta-feira (12) em Niquelândia.

Com reforço de parte do efetivo de Uruaçu das duas forças de segurança, foram abordadas 91 pessoas nos locais considerados mais vulneráveis à atuação da bandidagem na cidade, sobretudo nos bairros distantes da Praça Silva Júnior onde se deu a concentração das equipes que participaram do trabalho ostensivo-preventivo.

CATUABA – Veículos com irregularidades em documentos e/ou conduzidos por motoristas em situação irregular perante ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB) também foram abordados nos bloqueios realizados pela PM em pontos estratégicos. Um deles – identificado como Gleison Ferreira de Souza, de 28 anos – foi parado quando dirigia em zigue-zague pela Avenida Brasil o seu Ford Fiesta (ano 2008, cor vermelha, placa NHJ-0370). No interior do carro, a PM encontrou duas garrafinhas de catuaba; e Gleison foi autuado embriaguez ao volante.

Leonardo foi preso por homicídio cometido há 16 anos (Foto: Divulgação PC e PM)

MANDADO DE PRISÃO –  As forças de segurança também deram sorte de localizar em Niquelândia um foragido da Justiça: Leonardo José Soares , de 34 anos, havia sido condenado a oito anos e quatro meses de prisão por homicídio praticado em 2002; e foi recolhido ao Centro de Inserção Social/CIS, a cadeia da cidade, no Bairro Santa Efigênia.

SEDE DE CADEIA – Rogério Serra da Silva, de 34 anos; e Everaldo Pereira Toledo, de 45, foram detidos pelo GPT no Bairro Belo Horizonte pelo envolvimento no furto de um purificador de água elétrico, achado pelos militares num matagal.  O suspeito pelo delito, Júlio César Batista de Jesus, foi achado perto do presídio e levado à DP.

Viaturas da Polícia Civil de Uruaçu e do GPT se somaram ao aparato ja existente em Niquelândia: ‘baculejo’ em 91 pessoas na operação (Foto: PC e PM/Divulgação)

ESPINGARDA E FOGO EM PNEUS – No Povoado Faz Tudo, distante 45 quilômetros da área urbana de Niquelândia com acesso pela rodovia BR-414, o Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) da PM prendeu o comerciante Antonio José Dias da Costa – de 48 anos, conhecido como Toim Zé –  por ter efetuado disparos de espingarda contra a casa do mecânico Cleiton Carlos Pinto da Silva, de 29 anos.

No DP de Niquelândia, o mecânico relatou que Toim Zé e uma segunda pessoa – identificada como sendo Marcos Paulo Levino de Bastos – colocaram pneus usados em sua casa e atearam fogo, causando danos no telhado e no portão. O rapaz estava no interior da casa e precisou fugir pelos fundos para não inalar fumaça; e correu para a casa de seu vizinho, José Walter Viana de Souza.

Na sequência, Toim Zé e Marcos foram até essa casa e danificaram a lataria e quebraram os vidros de veículos estacionados na frente da casa de José Walter, quebrando também a porta de entrada do imóvel, sob o argumento de que não havia policiamento no Faz Tudo e que, por isso, ele era o “xerife” do povoado. Toim Zé e Marcos foram presos em flagrante pelos delitos cometidos no povoado.

Polícias Civil e Militar , reforçadas com equipes de Uruaçu, se reuniram na Praça Silva Júnior antes da operação em Niquelândia (Foto: Divulgação PC e PM)

EFETIVO – Ao todo, a “Operação Fecha Goiás” em Niquelândia contou com o trabalho de 21 PMs e 15 policiais civis; e grande número de viaturas (da própria cidade e de Uruaçu) que também localizaram um rapaz que portava uma porção de cocaína para consumo próprio; fiscalização em 41 veículos (26 carros e 12 motos); quatro abordagens no interior de comércios; e cinco pessoas abordadas quando passavam em locais que os policiais se encontravam no momento da operação.

APOIO DE URUAÇU – De acordo com o delegado Cássio Arantes do Nascimento, a “Operação Fecha Goiás” só foi possível na cidade graças ao apoio do delegado-titular da 10ª DRP da Polícia Civil em Uruaçu, Rodrigo Pereira; e do tenente-coronel Maxweel Franco de Morais, comandante do 14º Batalhão da Polícia Militar (14º BPM) também de Uruaçu, que deslocaram parte dos efetivos que atuam na cidade-sede das duas polícias para a operação coroada de êxito em Niquelândia. “Essas ações serão novamente realizadas e, com esse árduo trabalho, esperamos garantir um pouco mais de tranquilidade e sossego para a população niquelandense”, comentou o delegado do município.

Policiais civis de Niquelândia e de Uruaçu participaram da ação ostensiva contra a bandidagem, em Niquelândia (Foto: Divulgação PC e PM)
Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
Fechar