Publicidade

Niquelândia

Caiado faz discurso firme para chegar ao Governo do Estado

Pré-candidato, senador prestigiou posse do novo presidente do DEM local

O senador Ronaldo Caiado (DEM), pré-candidato e atual líder nas pesquisas de intenção de voto ao Governo de Goiás às eleições de outubro, esteve na Câmara Municipal de Niquelândia na manhã da sexta-feira (16) em evento que marcou o retorno do ex-candidato a prefeito Evaldo Rincon, ao partido. Evaldo não só assinou sua filiação ao Democratas, mas também sucedeu o empresário Carlos Roberto Oliveira (o popular Carlos da Líder) no comando local da legenda.

Evaldo volta ao DEM quase cinco anos após deixar o partido para ingressar no PSD do ex-candidato ao Senado Vilmar Rocha, presidente estadual da legenda, com quem rompeu politicamente. Antes do discurso no plenário lotado, o senador também conversou com funcionários públicos que faziam greve na porta da prefeitura, reivindicando o pagamento de salários atrasados pelo prefeito Valdeto Ferreira (PSB).

A vinda de Caiado ao município despertou o interesse de, praticamente, todas as correntes políticas do município de 44 mil habitantes, que foram ao aeroporto da cidade e à sede do Poder Legislativo para recepcionar o senador goiano, um dos grandes nomes da política nacional da atualidade. Depois de cinco mandatos consecutivos como deputado federal, Caiado venceu o próprio Vilmar nas eleições para o Senado em 2014, conquistando a única vaga em disputa naquele ano com pouco mais de 1,3 milhão de votos.

Agora, prepara-se para tentar suceder o governador Marconi Perillo (PSDB) – hoje em seu quarto mandato, que é pré-candidato ao Senado – para chegar ao Palácio das Esmeraldas em janeiro de 2019. Caiado, que é médico há 43 anos, agradeceu por todas as boas votações que obteve em Niquelândia nos últimos 20 anos; e afirmou que a Saúde está num quadro de urgência pela dificuldade de obtenção de vagas de UTI na regulação dos hospitais públicos de Goiás o que tem provocado, por exemplo, sequelas definitivas em 42% dos pacientes acometidos por Acidente Vascular Cerebral/AVC (derrame) no Estado.

Sobre a situação da Segurança Pública, Ronaldo Caiado foi categórico em afirmar que o Estado está perdendo a guerra para os narcotraficantes que, com armamento pesado, explodiram inúmeras agências bancárias do interior “com a certeza da impunidade”, nas palavras do pré-candidato ao governo, deixando a população goiana em situação de temeridade contra os criminosos.

Ele destacou que o comando do tráfico de drogas em municípios do Entorno do DF está sendo disputado por criminosos ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital, de SP) e ao Comando Vermelho (do Rio de Janeiro) pelo fato de Brasília, segundo o senador, ser um dos maiores mercados-consumidores de drogas do País pela elevada renda per-capta de seus moradores. Caiado prometeu fazer um governo com transparência porque todos – seja um vereador, um prefeito, um professor, um engenheiro – não podem mostrar autoridade se não derem exemplo para o cidadão. Para Caiado, a política não deve ser condenada, mas sim os maus-políticos é que devem ser condenados por seus atos ilícitos.

“Situação financeira de Niquelândia não é muito diferente no Estado”, polemiza Caiado 

“A sociedade cobra de nós (os políticos) responsabilidade no exercício do mandato. No momento em que o Estado estiver sendo governado por mim, ninguém vai exercer cargo público para enriquecer e para fazer ‘balcão de negócios’. Hoje, graças a Deus, posso chegar aqui em Niquelândia de cabeça erguida, porque nunca desmoralizei a politica de Goiás no cenário nacional. Niquelândia era a oitava cidade do Estado em arrecadação de impostos para o Estado e, hoje, não consegue cumprir sua obrigação constitucional de pagar o funcionalismo em dia porque a dívida com o INSS, segundo me informaram, é de mais de R$ 180 milhões. Ou seja, um dinheiro que não foi depositado para a Previdência. O Democratas terá seus pré-candidatos aqui em Niquelândia, mas não teremos nomes no bolso do colete. Precisamos, nesta cidade, de um candidato que angarie a maior condição de credibilidade moral para enfrentar a situação da prefeitura na condição caótica que ela se encontra hoje; e que tenha a coragem de mostrar onde foram parar mais de R$ 300 milhões. Esse dinheiro sumiu? Desapareceu? O dinheiro de Niquelândia foi usado em benefício da população da cidade; ou foi usado em projetos políticos-pessoais? Niquelândia não vai se recuperar da noite para o dia, mas temos bons exemplos de bons gestores em cidades menores que, com arrecadações menores que a de Niquelândia, pagam seus funcionários e fornecedores em dia, bem como possuem as certidões negativas em dia, para receberem emendas parlamentares para o município. A situação de Niquelândia, hoje, não é muito diferente da situação que o Estado de Goiás se encontra, com uma dívida de R$ 19 bilhões”, afirmou o pré-candidato do DEM ao governo. 

Palavras-chave

Veja também

Botão Voltar ao topo
×

Converse online pelo WhatsApp com o Portal Excelência Noticias

× Fale agora com o Excelência Noticias
Fechar